A força que vem de dentro

Visitar os rios Tapajós e Arapiuns é aprendizado! Pode ser a primeira, a quinta ou a vigésima oportunidade. Aprender é algo que certamente vai suceder.

Ah! Mas podem dizer que isso é dom de toda viagem… E, de fato, o é. Navegar é desdobrar-se, é descobrir de si e entender um mundo de ideias. Contudo, adentrar o universo particular da Bacia do Tapajós, é elevar qualquer possibilidade de se surpreender e de receber. Da vida. Das pessoas. Da natureza.

Lugar de inspiração para vários trabalhos produtivos relacionados às águas doces e às florestas. É lá que pela primeira vez organizei uma estadia de visitantes em comunidades. O viver a casa, o seguir a rotina da família sem programação pré-definida, Simplesmente ser acolhido e acolher.

E acolher é algo que para ser usufruído precisa antes de tudo ser plantado. Em solo fértil de bons sentimentos, de desejos do bem e de bonitas relações. Porque a medida que isso tudo é regado e cultivado, os encontros são fonte para nutrir a alma. De admiração. De verdade. De justiça. De amizade. De cumplicidade. E, principalmente, de coragem!

Ainda estou pra ver um oásis de tanta força na organização social como as bandas de cá, desses dois rios de amor. A consciência da importância das ações em grupo, do papel das mulheres e das lideranças, da prática do bem querer e do cuidado com o futuro.

Voltar é sempre lembrar onde minha vida no TBC começou. É sentir novamente o mesmo sonho, o mesmo fervor. De quem conhece a força que vem de dentro. Da euforia pelo tanto que se logrou. Sabendo que na próxima vinda, o mundo inteiro girou, e o Arapiuns em luz se recriou.

Texto e fotos: Ana Gabriela Fontoura.

Deixe uma resposta

Fechar Menu